Volkswagen estuda reduzir participação no Grupo Traton

    |Fonte: Automotive Business|

    Montadora deve vender parte de suas ações na fabricante de caminhões

    Volkswagen estuda vender parte de suas ações na Traton, grupo que reúne marcas como Scania, MAN, Volkswagen Caminhões e Ônibus e Navistar.

    Segundo a Bloomberg, o tamanho da oferta poderá variar de 500 milhões de euros a 1 bilhão de euros, o que representa quase 6% de participação no conglomerado.

    A VW, que detém cerca de 90% da Traton, tem conversado com potenciais consultores sobre uma venda a investidores institucionais por meio de uma oferta secundária com o preço por ação ainda a ser definido, segundo fontes da Bloomberg.

    Nesta terça-feira, os papéis da Volkswagen eram negociados a 32,60 euros, representando uma queda de 3,69% na Bolsa de Frankfurt. Já as ações do Grupo Volkswagen subiam 3,16%, a 122,50 euros cada.

    Desde a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Traton em 2019, a VW atendeu os investidores para aumentar o free float (indicador que mede a quantidade de ações em livre circulação no mercado) da fabricante de caminhões. Com isso, a empresa conseguiria levantar mais capital e ajudar a unidade a se tornar mais independente.

    VW se diz pronta para agir

    O diretor financeiro da VW, Arno Antlitz, disse, durante teleconferência de resultados no mês passado, que a empresa estava preparada para tomar medidas para aumentar o free float da Traton no momento apropriado.

    Nenhuma decisão foi tomada e os planos ainda podem mudar, de acordo com a Bloomberg. A Volkswagen e a Traton não comentaram o assunto.

    O CEO da Traton, Christian Levin, concentrou-se em reforçar a cooperação entre as marcas da empresa, inclusive em iniciativas de pesquisa e desenvolvimento. A fabricante de caminhões reportou lucro operacional melhor do que o esperado no primeiro trimestre, apesar das vendas unitárias mais baixas, em parte devido à redução de custos e ao aumento de preços.