Teste: Fiat 500X – O “X” da questão

    [Fonte: UOL]

    Fiat tenta emplacar o pequeno crossover 500X com motor 2.4 no mercado norte-americano

    Destacar-se em um segmento automotivo tão concorrido como o de crossovers não é fácil. Além do espaço que esses veículos familiares devem oferecer, a busca pelo apelo estético é também bastante importante. Seguindo essa premissa, a Fiat lançou o 500X em meados de 2014. Inspirado visualmente no simpático Cinqüecento, o 500X ostenta medidas bem mais imponentes. São 4,25 metros de comprimento, 1,80 m de largura, 1,60 m de altura e 2,57 m de entre-eixos. Além do visual off-road, o modelo conta com uma nova opção de motorização nos Estados Unidos.

    Ao defini-lo como um veículo premium, a Fiat visa conquistar os norte-americanos que buscam um terceiro ou quarto carro para a família. O 500X é disponibilizado somente nas suas versões mais completas e que possuem mais atrativos para seus futuros compradores. O modelo pode ser equipado com duas opções de motor, caixa de velocidades e tração. O trem de força pode ser um 1.4 turbo de 160 cv acoplado a um câmbio manual de cinco marchas ou o lançamento da Fiat, um motor de 2.4 litros e 180 cv ligado a uma transmissão automática de 9 velocidades e opção de tração dianteira ou integral. Os preços começam em US$ 20.995, cerca de R$ 69 mil, e podem chegar aos US$ 29 mil em configurações mais completas e recheadas de opcionais, aproximadamente R$ 95 mil.

    À venda em mais de 100 países em todo o mundo, o 500X não tem previsão de ser comercializado no Brasil. Isso porque poderia roubar vendas do Jeep Renegade, primeiro modelo da linha de produção da nova fábrica do grupo Fiat Chrysler Automobiles – FCA, localizada em Goiana, Pernambuco. Os dois compartilham a mesma plataforma – assim como a picape Toro -, mas o 500X tem foco voltado principalmente para a utilização urbana, enquanto o Renegade  é um modelo de uso misto, na lama ou no asfalto, e exalta suas características “off-road”.

    Amplamente equipado para se destacar no segmento premium, todas as versões têm sete airbags, controle eletrônico de estabilidade e assistente de partida em rampas. O sistema de entretenimento usa uma tela “touch” de 6,5 polegadas, sempre com Bluetooth, entrada auxiliar, GPS, porta USB e comandos de voz. Configurações mais completas podem ter ainda abertura das portas e partida do motor sem chave, bancos e volante com aquecimento, monitoramento de ponto cego, alerta de colisão dianteira e mudança de faixa, entre outros mimos.

    Primeiras impressões – Novo fôlego

    Flórida/Estados Unidos – O Fiat 500X se sai bem em qualquer superfície. Na cidade, o novo motor, acoplado ao câmbio automático de nove marchas, tem funcionamento suave, como demanda o mercado americano. Prático, silencioso, fácil de conduzir e com o espaço certo para as famílias americanas, o 500X oferece as vantagens de um crossover compacto combinadas com o design de um ícone como o Fiat 500.

    A tração AWD se mostrou demasiadamente eficiente durante o trajeto nas rodovias. A direção é firme e o aventureiro se comporta de forma eficaz nas curvas. Só a visibilidade poderia ser melhor, já que foi um pouco sacrificada em favor do projeto.

    O preço, levemente maior do que o comercializado na Europa, se deve ao maior cuidado que o 500X demanda no mercado norte-americano. Os pneus, por exemplo, possuem dimensões maiores, assim como o couro e os acabamentos que compõem o interior, que são mais refinados. Durante a sessão de fotos, feitas em um grande shopping center na área de Westfield, o modelo foi largamente elogiado pelo seu design, mesmo já estando no mercado há alguns meses.