Stellantis, dona de Fiat e Jeep, detalha expansão de modelos híbridos em Betim

    (Fonte: Itatiaia)

    Presidente da Stellantis aponta que montadora vende mais carros no Brasil que na Europa, onde foi criada; fábrica detalha investimento de R$ 14 bilhões em Betim

    O desenvolvimento de tecnologias para veículos híbridos norteia os novos investimentos da Stellantis, controladora de empresas como Fiat, Peugeot e Jeep, no polo automotivo de Betim, na Grande BH. A empresa detalhou o investimento de R$ 14 bilhões em Minas Gerais até 2030. O valor corresponde a 46% do aporte nas fábricas brasileiras – a planta em Betim é a que receberá a maior cifra.

    Em entrevista à Itatiaia, o SEO e presidente da Stellantis para a América Latina, Emanuelle Cappellano, explica que os recursos, prioritariamente, serão voltados para a evolução de tecnologias híbridas para veículos. Ele aponta a força do mercado nacional – a montadora vende mais carros no Brasil que na Europa, berço da empresa.

    “A Stellantis hoje é a maior montadora do país – e sua presença de mercado é a maior em toda América Latina. Claramente, quando a gente fala de Minas Gerais, a marca Fiat é a mais querida, mas também somos donos e comercializamos Peugeot, Jeep e Citroën, marcas com história muito longa no país e na América Latina”, comenta.

    Pensando na transição tecnológica, o presidente da Stellantis detalha as tecnologias necessárias para o desenvolvimento de veículos híbridos, que combinam eletrificação com motores flex movidos a etanol, que devem chegar ao mercado no segundo semestre.

    “Anunciamos há poucas semanas R$ 14 bilhões de investimentos em Minas Gerais, que fazem parte de um investimento maior, que chega a R$ 32 bilhões na América Latina. Neste momento de transição tecnológica que estamos vivendo, precisamos introduzir plataformas com novas tecnologias hibridas, e isso requer investimentos e recursos”, aponta.

    Emanuele Cappellano destaca a sinergia necessária entre um modelo tecnológico adequado ao mercado nacional.

    “A sustentabilidade é fundamental. E precisamos construir carros para o bolso dos brasileiros. Esse é o nosso objetivo com o projeto de introdução gradativa de eletrificação”, afirma.

    O investimento na planta industrial de Betim faz parte de um projeto que prevê investimentos de R$ 32 bilhões da Stellantis na América do Sul. A fabricante encerrou os primeiros três meses do ano com 30% de participação no mercado do Brasil e 33% na Argentina — em média, a companhia é responsável por 23% da produção em toda América do Sul.