Salão do Automóvel deve focar em entretenimento, não apenas no carro

    [Fonte: Automotive Business]

    Pesquisa feita por AB em parceria com a Reed Exhibitions mostra necessidade de engajar consumidores com tecnologia, diversão e informação 

    O Salão do Automóvel de São Paulo precisa passar de um evento focado no carro para oferecer aos visitantes experiências múltiplas com tecnologia, diversão e conteúdo. Esta é a principal conclusão do estudo O Salão do Automóvel do Futuro, fruto de parceria inédita entre Automotive Business e a Reed Exhibitions, organizadora do evento. A pesquisa foi apresentada com exclusividade no ABX19, no fim de maio, ao lado de levantamentos sobre a cadeia de autopeças e sobre a intenção de compras de caminhões.

    A pesquisa ouviu 3,1 mil visitantes da edição de 2018 do evento, sendo 17% da mostra feminina e 18% representada pelo público jovem, com menos de 25 anos. Entre os entrevistados, 82% afirmam usar aplicativos de transportes como Uber e 99, enquanto 94% dizem utilizar carro próprio nos deslocamentos do dia a dia e 60% declaram ser apaixonados por automóveis.

    AS EXPERIÊNCIAS E PÚBLICOS DO SALÃO DO AUTOMÓVEL

    Mesmo um grupo tão interessado no tema, no entanto, indicou a expectativa de que a mostra evolua de product showcase para entertainment showcase. Para 80% dos respondentes, é importante que o Salão ofereça diversidade de experiências. Para 72% das pessoas, participar test-drives é muito importantes para a experiência na feira.

    Simuladores e vivências virtuais são altamente valorizados pelos visitantes, destacados por 60% dos respondentes. Já 54% gostariam de ter experiências de cocriação em Fab Labs e viver experiências relacionadas ao processo produtivo dos carros, enquanto 50% consideram muito importantes os chamados test shows, como apresentações de arrancada ou de crash tests com automóveis.

    “O Salão estará ao lado da indústria na missão de conectá-la aos novos tempos e aos novos consumidores. Os jovens têm grande interesse em carros e cabe a nós mantermos a paixão deles e entregar a experiência que eles esperam.”, aponta Paulo Octávio Pereira de Almeida, vice-presidente da Reed Exhibitions.

    Entre os entrevistados, as mulheres mostraram ainda mais interesse por tecnologias imersivas e experiências que vão além do automóvel. Das respondentes, 71% gostam de realidade virtual para testar carros e 69% de simuladores de cidades inteligentes. Já 77% gostariam de cursos rápidos sobre condução segura e econômica dos carros, 80% de debates sobre cidades inteligentes e conectadas e 81% são atraídas por nova mobilidade e transporte conectado.

    O Salão ainda enfrenta o desafio de se tornar mais democrático e acolhedor aos diferentes públicos: 87% dos entrevistados preferem ir ao evento com a família. Ainda assim, 25% das mulheres afirmam que é um evento masculinizado e 4% sentem-se intimidadas ao visitar a mostra, o que deixa uma ampla oportunidade para as marcas inovarem, tornando o evento ainda mais amigável aos diversos perfis de visitantes.