Grupo Renault mantém patamar de receita de 2021 no primeiro semestre

    |Fonte: Automotive Business|

    Companhia registrou faturamento de € 21 bilhões e prejuízo de € 1,6 bilhão, por causa da Rússia

    O Grupo Renault alcançou, ao fim do primeiro semestre, receita similar à registrada pela companhia em igual período no ano passado, € 21,1 bilhões. Por meio de comunicado, a empresa francesa comemorou o resultado conquistado “apesar de todos os ventos contrários relacionados à interrupção das operações na Rússia, à crise dos semicondutores e à inflação dos custos”.

    Foi no primeiro semestre que a montadora encerrou suas atividades produtivas na Rússia, medida que afetou o seu desempenho financeiro no período. Por causa da operação, e das despesas envolvidas no processo, registrou prejuízo de € 1,6 bilhão no janeiro-junho deste ano. Se considerada apenas a operação dos negócios que ainda então em curso, o grupo teria lucro de € 657 milhões.

    Receita da Renault impactada por diversos fatores

    Em maio, o conselho de administração do grupo aprovou por unanimidade a assinatura dos acordos para ceder 100% da participação do Renault Group na Renault Rússia para a cidade de Moscou, além da cessão de sua participação de 67,69% na Autovaz para o NAMI (Instituto Central de Pesquisa e Desenvolvimento de Automóveis e Motores). As medidas tiveram como motivação o conflito Ucrânia-Rússia.

    No período, por causa da crise dos chips e outros desafios, a Renault afirmou que deixou de vender 136 mil veículos no mundo, o que impactou sua receita. Segundo as perspectivas do grupo francês para o ano, haverá uma perda total de 300 mil unidades diante do quadro produtivo e comercial adverso. Mais informações sobre projeções para 2022 serão reveladas no quarto trimestre, quando será realizado o Capital Market Day da empresa.