Ferrari terá fábrica de carro elétrico do tamanho de dois Coliseus

    (Fonte: O Globo)

    Apesar do momento é difícil com alta de custo e desaceleração da demanda global, empresa pretende revelar seu 1º modelo totalmente elétrico no quarto trimestre de 2025

    Deslizando em transportadores robóticos, uma linha de chassis da Ferrari manobra por uma nova e reluzente fábrica no norte da Itália, de € 200 milhões, que entrou em operação no mês passado. Em cada estação da nova instalação, engenheiros em uniformes vermelho-cereja adicionam um componente — um bloco do motor, um painel, um volante — enquanto transformam as estruturas em veículos híbridos. O próximo passo será produzir carros totalmente elétricos.

    Muita coisa está em jogo na nova fábrica da Ferrari, que tem quase o dobro do tamanho do Coliseu de Roma. O espaço tem como objetivo levar a fabricante de carros esportivos de 77 anos, conhecida pelo “vroom” sonoro de seus motores a gasolina, para era da eletrificação.

    Mas o esforço acontece em um momento delicado para a indústria automotiva. A transição para veículos elétricos, que deveria inaugurar rapidamente uma era de transporte favorável ao clima, foi, em vez disso, desafiada por investimentos custosos e pela desaceleração da demanda global.

    Outras fabricantes de carros de luxo têm enfrentado dificuldades para produzir elétricos. A Mercedes-Benz e a Lamborghini reduziram suas ambições. A Tesla relatou, na semana passada, queda nas vendas do segundo trimestre, enquanto a Ford Motor, em abril, anunciou que mudaria a produção para mais híbridos devido às perdas com veículos elétricos. Uma crescente guerra comercial entre China e o Ocidente também ameaça sufocar o crescimento do segmento.

    Novo modelo elétrico

    Apesar dos desafios, a Ferrari vê uma oportunidade na marcha inevitável da indústria em direção à eletrificação para atingir um novo consumidor: o ambientalista rico. Ela pretende revelar seu primeiro modelo totalmente elétrico no quarto trimestre do ano que vem.