Carro voador brasileiro da Embraer terá versão com marca Senna

    [Fonte: Estado de São Paulo]

    O eVTOL, primeiro carro elétrico voador brasileiro, já está em fase de testes no Rio de Janeiro; versão nova homenageará o grande piloto Ayrton Senna

    Depois de iniciar os testes do primeiro carro voador elétrico brasileiro, a Embraer anunciou uma novidade. Agora, além do modelo que está fazendo parte da simulação, a empresa comunicou que a Eve Air Mobility (divisão de mobilidade área urbana) fechou uma parceria com a marca Senna. Dessa forma, o intuito é desenvolver o primeiro Eve-Senna.

    Apesar das especulações, ainda não há grandes detalhes de como será o novo modelo que homenageará o grandioso Ayrton Senna. Contudo, a certeza é de que ele será uma aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical. Ou seja, um eVTOL na sigla em inglês.

    O projeto do carro voador, portanto, tem como principal proposta o baixo ruído e zero emissão de carbono. ”Tenho certeza de que essa parceria vai contribuir muito para inspirar as novas gerações a desenvolverem as tecnologias que vão transformar o futuro”, afirmou o CEO da EVE, Andre Stein.

    É importante dizer que a marca Senna, que foi lançada pelo próprio piloto em 1992, já fez algumas parcerias com montadores de automóveis antes. Porém, é uma das primeiras em soluções sustentáveis nessa proporção.

    “No campo de sustentabilidade e mobilidade, sabemos que o futuro será criar novas soluções de locomoção integradas que foquem em desenvolver uma economia sustentável, melhora na qualidade de vida mundial e do nosso planeta”, disse a CEO da Marca Senna, Bianca Senna.

    Testes no Brasil

    Como noticiamos no Jornal do Carro logo no início de novembro, a Embraer deu início aos testes do primeiro carro voador elétrico brasileiro no dia 08. A rota conecta a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, na cidade do Rio de Janeiro.

    Nessa fase inicial dos testes, serão realizados seis voos diários durante o mês inteiro. No entanto, tudo isso com supervisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). Até o momento, a passagem custa a partir de R$99.

    O projeto do carro voador propõe uma alternativa mais barata ao helicóptero. Assim como provoca a necessidade de se repensar o tráfego aéreo urbano nas grandes metrópoles.

    Primeiros voos

    Em março deste ano, a Embraer divulgou informações e imagens dos testes com seu carro voador, que tem previsão de lançamento em 2026. O “drone gigante” alçou voo pela primeira vez em Gavião Peixoto (SP), na sede da empresa de aeronáutica.

    O modelo possui dez hélices movidas por motores elétricos. Além disso, a versão de produção poderá ganhar dois rotores para melhorar o desempenho em voos de cruzeiro. Nesta primeira viagem, a aeronave não comportou passageiros e voou sob controle remoto.

    Atualmente, a Eve testa os softwares que farão a interface entre o carro voador e o piloto. A princípio, o modelo terá um humano no comando.

    Contudo, o objetivo para um segundo momento é que o carro voador seja totalmente autônomo. Ou seja, a ideia é que o modelo trabalhe como um carro de aplicativo. Assim, basta o cliente pedir pelo smartphone para o veículo buscá-lo, tal como no app da Uber.